ARTIGOS, NOTÍCIAS E REPERCUSSÕES SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Regiões com maior redução na compra de armas têm maior crescimento de mortes com seu uso.


Os primeiros meses de 2013 foram ricos na divulgação de dados sobre a criminalidade no país, sobretudo quanto à análise de sua evolução diante da circulação de armas entre a população civil. No início de março, foi publicado o Mapa da Violência 2013, estudo que vem se tornando o referencial mais confiável - ainda que distante da perfeição - na apresentação de dados sobre as mortes violentas no Brasil. Já em 1º de abril, o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas - IPEA divulgou um levantamento sobre a aquisição de armas de fogo pelo cidadão brasileiro entre os anos de 2003 e 2009. A comparação dos dois estudos conduz a uma interessante conclusão em relação às regiões que mais se destacam em ambos: o Norte e o Nordeste.

A pesquisa publicada pelo IPEA, mesmo sem um detalhamento da situação por cada estado, aponta que, no período objeto de estudo (2003 a 2009), a aquisição de armas de fogo pela população brasileira sofreu forte redução, capitaneada pelas regiões Norte e Nordeste do país, onde a queda foi, respectivamente, de 54,5% e 56,5%, índices bastante superiores à média nacional, na casa dos 35%.

Para o mesmo período, os números do Mapa da Violência, cujo foco nesta edição de 2013 consiste nas mortes com emprego de arma de fogo, também põem em destaque essas duas regiões do país. De acordo com o Mapa, as regiões Norte e Nordeste do Brasil registraram, no ano de 2003, 1.843 e 9.582 mortes por arma de fogo, respectivamente. Em 2009, estes números saltaram para 3.423 e 14.692. Descontado o crescimento demográfico, as taxas de óbito por arma de fogo nas regiões Norte e Nordeste brasileiras cresceram, respectivamente, 64,9% e 42,8% entre os anos de 2003 e 2009.

São números muito acima da média nacional, que aponta, para o mesmo período, o crescimento de 18,2% nas taxas de morte por armas de fogo no somatório das regiões. Não apenas isso, a diferença entre os números do Nordeste, o segundo colocado, e os da região Sul, a terceira, é de 100% - 42,8% x 21,4%.


O comparativo entre os números da pesquisa do IPEA e do Mapa da Violência deixa patente que, nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, a forte redução na compra de armas de fogo, superior a 50%, não teve nenhum impacto na redução de óbitos com emprego delas. Ao contrário, no mesmo período em que observada a redução no primeiro dado, as taxas do segundo aumentaram consideravelmente, superando muito a média nacional.

Durante a apresentação do estudo do IPEA, os dados foram difundidos como forma de enaltecimento aos supostos benefícios do estatuto do desarmamento. Contudo, as informações do Mapa da Violência jogam por terra qualquer comemoração neste sentido, pois as regiões do país em que a queda na compra de armas de fogo foi mais acentuada são também aquelas em que as mortes por seu uso mais cresceram.


* Fabricio Rebelo é pesquisador em segurança pública e coordenador da ONG Movimento Viva Brasil na Região Nordeste do país.

** Este texto é de livre reprodução, desde que na íntegra e com indicação autoral.

6 comentários:

  1. O interessante é que a população em geral fica desavisada da realidade, maquiada por grande parte da mídia ou quase em sua totalidade, que vende a idéia de que menos armas significam menos crimes. Vejam esta matéria da folha, a inversão dos verdadeiros dados e a análise completamente tendenciosa. Ps resultados baseiam-se na ideologia e não nos dados e nos fatos! Encontra-se o que quer! http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1255385-compra-de-armas-de-fogo-cai-35-em-seis-anos-no-pais.shtml

    ResponderExcluir
  2. E o pior de tudo isso, é que os experimentos realizados nessa área da "segurança pública" utilizam os pais de família, empresários, trabalhadores, jovens estudantes, profissionais das mais variadas áreas como cobáia. Ou seja, nós da sociedade ordeira é que somos os ratos de laboratório. E ao final da fracassada experiência, além dos custos exorbitantes com campanhas falaciosas, joga-se com vidas humanas, vidas que são ceifadas e jamais voltarão, destruindo-se assim, famílias inteiras que sofrem com a perda do ente querido. Até quando?

    ResponderExcluir
  3. Este cara Dep. Molon é o maior 'CHATO DA PARÓQUIA''.Não duvido se este carinha não tem ' OUTROS' interesses no desarmamento.Creio que deve estar levando algum por fora.É do Rio, perto dos 'MORROS' ,defensor radical do desarmamento dos Homens e Mulheres de Bem.Passa a mão na cabeça da BANDIDAGEM, sei não.Este cara NÃO ME ENGANA.Se tiver explicação p/ tanta dedicação pelo desarmamento dos honestos, bom EXPLICAR a galera agradece e talvez aceite.E é só.

    ResponderExcluir
  4. Já está mais do que provado que o "Estatuto do Desarmamento" não produziu nada do que se propôs, muito pelo contrário, só piorou o que já era ruim (a violência), além de prejudicar empresas, comerciantes e desportistas. Gostaria de saber qual é o pavor que o governo tem de deixar o cidadão poder comprar e portar armas para defender-se (uma vez que as polícias também se provam incapazes de fazer isto pelo cidadão). É um direito constitucional (de defesa) que há 10 anos vem sendo violentando. O governo levou uma invertida no plebiscito de 2005 e mesmo assim, contra a vontade da maioria da população, nada ou muito pouco mudou nesta lei que é totalmente autoritária e baseada apenas em ideologias e não em fatos técnicos concretos. Ainda assim continua insistindo em manter este fracasso em vigência. Talvez quando as últimas armas sejam entregues, também tenhamos que entregar nossos demais direitos, propriedades, crenças, etc... Não é mesmo? È lamentável!

    ResponderExcluir
  5. Governo autoritario, corrupto, ditador, enganador, quer desarmar a populacao para que no futuro não haja qualquer tentativa de revolta civil para tira-lo do poder. Quer manter o povo semi escravo e sob seu controle, como nos paises comunistas. Esse desarmamento é pura ideologia, desarmar para dominar por completo. Cidadão brasileiro, NÂO ENTREGUE SUA ARMA ! NÃO SEJA OTÁRIO ! Pergunto : Aonde estão os patriotas ?? Aonde estão as FFAA ?????? PÔ... !

    ResponderExcluir
  6. O Deputado Federal MOLON além de fazer parte da cúpula dos que andam com seguranças armados até os dentes, ainda tenho certeza que tem privilégio de ter porte de arma dado pelo próprio partido seu o PT. O povo do RIO DE JANEIRO têm que tomar cuidado em quem vota para Deputado nas próximas eleições

    ResponderExcluir